terça-feira, 16 de outubro de 2012

Mapeamento que reunirá companhias nacionais num catálogo para facilitar pedido de patrocínios passa pelo Paraná nesta semana.

Imagem: Divilgação


Ainda tem gente que acredita que teatro para criança não requer profissionalismo – um equívoco que companhias e o poder público pretendem corrigir. Uma das ações nesse sentido é o Mapeamento do Setor de Artes Cênicas para a Infância e Juventude no Brasil, que irá resultar em um catálogo pelo qual alguns dos principais financiadores de espetáculos nacionais pretendem se guiar, no futuro, na hora de distribuir verbas.

Portanto, é melhor todos os envolvidos com essa arte no estado correrem para preencher o livreto de 23 páginas que está sendo distribuído pelo produtor carioca Ricardo Schöpke, da Boto Vermelho Produções Artísticas.

O encontro de ontem, no Teatro Regina Vogue, atraiu poucas pessoas. Hoje, a reunião de explanação do mapeamento acontece no Guairinha, entre 14 e 18 horas.

“Queremos ouvir sobre a situação do estado, saber qual a visibilidade dos grupos, como é a relação com patrocinadores, prefeitura, governo e imprensa”, conta o também diretor e crítico.

Na quinta-feira, será possível entregar o caderno preenchido nos dois teatros, de acordo com Schöpke, que se desdobra para montar em cinco minutos um cenário patrocinado pela Petrobras e Ministério da Cultura, os dois principais interessados na listagem de grupos infanto-juvenis do país.

A Petrobras aproveita para divulgar, em meio aos encontros, seu Programa Distribuidor de Cultura, que prevê a circulação de peças infantis e adultas, com a provisão de R$ 2 milhões e R$ 12 milhões, respectivamente, para o biênio 2013-2014. Os projetos poderão ser inscritos a partir de novembro pelo site www.br.com/cultura.

É um dinheiro que poderá ser ampliado, de acordo com as informações obtidas no mapeamento, garante Schöpke. Para o Ministério da Cultura, as informações sobre grupos de todo o Brasil servirão para melhor distribuir recursos e até mesmo planejar novos projetos, destinando programas de formação para quem carece de profissionalização, fomento para quem tem dificuldade de captar verbas, etc. “Há quem não saiba preencher um edital”, exemplifica Schöpke.

Por trás da busca de aprimoramento da qualidade das peças para crianças e adolescentes, o projeto se baseia num conceito pelo qual esse público é formado por “seres inteligentes”, e não “consumidores”.

De cada cidade que visita (já foram 11, faltam 16), Schöpke sai com 10 a 15 livretos preenchidos. A ideia é coletar informações de grupos até dezembro, para depois editá-las e publicar o catálogo em maio do ano que vem.

Lição de casa

Entre as questões a serem respondidas estão informações do perfil da companhia, os recursos que já captou e de que fonte, além de diversas questões que buscam verificar o conhecimento do grupo sobre canais de fomento e divulgação em sua cidade.

Para a presidente da Associação de Teatro para Infância e Juventude no Estado do Paraná (Atinj), Fátima Ortiz, a passagem do mapeamento por Curitiba pode auxiliar no sentimento de grupo dos profissionais da classe.

“Em termos de qualidade, fazemos um trabalho reconhecido nacionalmente, mas buscamos promover mais troca e ações conjuntas”, disse à reportagem. Além da Atinj, a Cia. do Abração também representa o projeto de catalogação no Paraná.

Agenda

Veja onde encontrar a equipe que realiza o mapeamento do setor de artes cênicas para a infância e juventude em sua passagem por Curitiba:

Dia 16
Guairinha (R. XV de Novembro, s/n.º), (41) 3304-7900. Das 14 às 18 horas. Explicações e distribuição do livreto para preenchimento.

Dia 18
Guairinha e Teatro Regina Vogue – Shopping Estação (Av. Sete de Setembro, 2.775), (41) 2101-8293. Recebimento do livreto preenchido nas secretarias dos teatros.

Dia 22
Guairinha. Das 9 às 12 horas. Participação em debate sobre espetáculos integrantes do IV Encontro de Teatro para Crianças de Todas as Idades.


(Fonte: Gazeta do Povo de 16/10/2012)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...