quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Casa da Cultura Polônia Brasil fará pré-lançamento do livro “Memórias de Luz: História de Poloneses Justos” em Curitiba.

(Foto de capa: Schirlei Freder / Arte e diagramação: Axel Giller)


A Casa da Cultura Polônia Brasil, com sede na capital paranaense, e o Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba realizará no domingo 13 o pré-lançamento do livro “Memórias de Luz: História de Poloneses Justos”, publicação patrocinada pelo Ministério das Relações Exteriores da República da Polônia e pelo Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba que contou com o apoio da UFPR – Universidade Federal do Paraná (Curso de Letras-Polonês) Departamento de Polonês, Alemão e Letras Clássicas (DEPAC).

O livro foi concebido a partir da história de alguns poloneses, Justos Entre as Nações, apresentando ao leitor a história de vida de Jan Karski, Irena Sendler, Władysław Bartoszewski, Jan e Antonina Żabińscy, bem como suas ações para salvar os judeus perseguidos durante o nazismo. Histórias essas acompanhadas de um texto produzido a partir de conversas com uma das pessoas que foram salvas, Bieta Ficowska, além de poemas de Jerzy Ficowski, um ensaio de Marek Bieńczyk e curtos biogramas de outros Justos que completam a obra.

O livro é organizado por Piotr Kilanowski, professor de língua e literatura polonesas da UFPR, que assina os textos que apresentam Jan Karski e Bieta Ficowska. Alicja Goczyła Ferreira, também professora de língua e literatura polonesas da UFPR, é autora dos textos que relatam as histórias de Irena Sendler e de Jan e Antonina Żabińscy, já Aleksandra Pluta, jornalista e escritora, narra a história de Władysław Bartoszewski. O livro conta ainda com textos breves de Carlos Reiss, coordenador do Museu do Holocausto de Curitiba, de Aleksandra Piasecka-Till e de Marcin Raiman, professores de língua polonesa da UFPR.



Em tempos de crise como os atuais, momento dos intensos fluxos migratórios oriundos do flagelo das guerras, relembrar uma passagem importante vivida por nossos irmãos poloneses e outras etnias durante o nazismo, é oportuno, e sem dúvida uma bela forma de homenagear a memória desses homens e mulheres. Mais ainda, é uma forma de perpetrar a mensagem mais importante legada por eles, a de que é preciso ajudar o seu próximo.

Trazer à tona a memória dos Justos é evocar exemplos de moral e solidariedade que nos fazem manter viva a crença na humanidade, e é essa a mensagem que “Memórias de Luz: História de Poloneses Justos” pretende levar ao leitor.


Casa da Cultura Polônia Brasil - A Casa da Cultura Polônia Brasil foi criada em 2012 com a missão de promover e fortalecer ações culturais e de intercâmbio entre Brasil e Polônia, além de oportunizar a valorização de artistas descendentes de poloneses. A diretoria é composta por pesquisadores, empresários e artistas que voluntariamente se dedicam no desenvolvimento das atividades.


SERVIÇO:

Pré-lançamento do Livro Memórias de Luz: História de Poloneses Justos

Onde: Casa da Cultura Polônia Brasil

Rua Ébano Pereira, 502 – Centro – Curitiba/PR

Quando: Domingo 13 de dezembro de 2015 às 16h

Informações: contato@poloniabrasil.org.br ou pelo telefone (41) 3088-00708


(por Meg Mamede para CCPB)



***

Projeto “Meu coração de polaco voltou”, que expõe influências polonesas na obra de Paulo Leminski, chega a Porto Alegre.

(Foto: Márcio Santos / Arte: Maria Baptista)
Casa da Cultura Polônia Brasil e a família Leminski, em cooperação com o Consulado da República da Polônia em Porto Alegre, o Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba e a Casamundi Cultura, trazem a Porto Alegre, entre os dias 17 de dezembro de 2015 e 09 de fevereiro de 2016, o projeto“Meu coração de polaco voltou”. Trata-se de um passeio pelas origens e influências polonesas na obra de Paulo Leminski, com curadoria das filhas Aurea e Estrela Leminski.
“Começar por Porto Alegre tem um significado muito especial, não só pela forte presença da comunidade polonesa, mas porque também era uma cidade que Leminski adorava e tinha grande admiração por muitos artistas e intelectuais locais”, diz Aurea. Entre as ações, está a exposição inédita intitulada “Meu coração de polaco voltou”, aberta ao público a partir de 18 de dezembro no Memorial do Rio Grande do Sul, na sala Múltiplo Usos. A mostra é composta por painéis com reprodução de textos, fac-símiles, fotos do acervo particular, livros e documentos originais de Leminski e tem a comunicação visual assinada por Maria Baptista.
Além da mostra, também será lançado em Porto Alegre a edição brasileira do livro de poemas traduzidos (bilíngue) “Meu coração de polaco voltou/Powróciło moje polskie serce”, que reúne cerca de 60 poesias de Leminski, com uma tiragem exclusiva de 1.000 exemplares. A seleção e tradução são de Piotr Kilanowski, pesquisador e professor do curso de Letras-Polonês da UFPR radicado no Brasil há mais de 25 anos. O livro contém também algumas traduções de autoria de Konrad Szcześniak, professor da Universidade da Silésia. A primeira edição foi lançada na Polônia, no final de 2014, em uma iniciativa dos pesquisadores da Universidade da Silésia e UFPR com financiamento do Ministério dos Assuntos Exteriores da Polônia. O prefácio do livro é assinado por Marcelo de Paiva Souza, também professor de Letras–Polonês da UFPR e doutor em literatura polonesa pela Universidade Iaguiellônica (Cracóvia).
“Meu Coração de Polaco Voltou” – O projeto nasceu em Curitiba, em celebração e homenagem ao artista que, em 2015, completaria 71 anos. Os eventos foram realizados na Casa da Cultura Polônia Brasil, de agosto a outubro, e tiveram grande sucesso de público.
Casa da Cultura Polônia Brasil – A Casa da Cultura Polônia Brasil foi criada em 2012 com a missão de promover e fortalecer ações culturais e de intercâmbio entre Brasil e Polônia, além de oportunizar a valorização de artistas descendentes de poloneses. A diretoria é composta por pesquisadores, empresários e artistas que voluntariamente se dedicam no desenvolvimento das atividades. A obra de Paulo Leminski é marcada pelas referências à cultura polonesa, e o projeto “Meu coração de polaco voltou” garante a difusão da obra do artista, das tradições polonesas, e reforça a importância do legado do autor e sua relação orgânica com a comunidade brasileira.
Confira a programação:
17/12, às 19h: Abertura da exposição “Meu coração de polaco voltou”, com material inédito e curadoria das filhas de Leminski e lançamento do livro bilíngue “Meu coração de polaco voltou/ Powróciło moje polskie serce“ (traduções de Piotr Kilanowski e de Konrad Szcześniak)
De 18/12 a 09/02: Exposição “Meu coração de polaco voltou”.
20/01, a partir das 19h: Recital poético “Paulo Leminski”. Será um encontro com leituras poéticas e convidados. Ministrado por Tiago Halewicz, diretor cultural da Casamundi e pesquisador da cultura polonesa.
SERVIÇO:
Onde: Memorial do Rio Grande do Sul, Sala Múltiplos Usos. (Rua 7 de Setembro, 1020 – Praça da Alfândega, Porto Alegre).
Quando: de 18 de dezembro de 2015 a 09 de fevereiro de 2016. Terça a sábado, das 10h às 18h, e domingo, das 12h às 18h.
Contato: cultura@casamundi.com.br, chp.poa@uol.com.br ou (51) 3024-4284
(Fonte: CCPB)
***

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

O Teatro Polonês “Polski Teatr” integra a programação da Casa da Cultura Polônia Brasil em comemoração à independência da Polônia.

(Arte e Criação: Dulce Osinski e Everly Giller / Diagramação: Angelo Osinski)

Ao longo de todo ano a Casa da Cultura Polônia Brasil, com sede na capital paranaense, realizou diversas atividades culturais e não poderia ser diferente em uma data tão representativa na qual o povo polonês comemora sua independência. Por isso, a Casa da Cultura Polônia Brasil juntamente com o Consulado Geral da Polônia em Curitiba e apoiadores, em um esforço conjunto, realizam ao longo do mês de novembro e inicio de dezembro algumas atividades em sua sede, entre as quais a abertura da exposição “Polski Teatr” sobre o Teatro Polonês e seus ícones.

Com curadoria de Dulce Osinski e Everly Giller, o projeto teve inicio quando artistas associados e membros da diretoria da Casa da Cultura Polônia Brasil, juntamente com a presidente da instituição, Sra. Schirlei M. Freder, souberam que o parlamento da República da Polônia havia declarado 2015 como o Ano do Teatro polonês em comemoração aos 250 anos de existência do teatro público na Polônia, o que ocorreu por meio da fundação do Teatro Nacional de Varsóvia, o quarto mais antigo criado na Europa, além disso, neste ano também se comemora os 130 anos de nascimento de Stanisław Ignacy Witkiewicz, conhecido como “Witkacy”, e os 100 anos de nascimento de Tadeusz Kantor, ambos artistas e dramaturgos. Desta forma e com tantas efemérides importantes não haveria melhor ocasião para apresentar à comunidade polono-brasileira e interessados na cultura polonesa um pouco mais sobre o Polski Teatr, do que ao longo do mês de novembro.

Atuando como comentarista da realidade polonesa, o teatro na Polônia tem desempenhado, ao longo de sua trajetória, um importante papel social e cultural. Com propostas ousadas e por vezes revolucionárias, característica peculiar às muitas linguagens artísticas de origem polonesa, o teatro polonês influenciou o panorama cênico mundial, seja do ponto de vista estético ou conceitual. Com raízes no período medieval, então com forte caráter religioso, o teatro polonês começa a mudar já no Renascimento, período onde o mecenato surge trazendo novas possibilidades às artes cênicas. Do teatro secular em latim, com origem na Academia de Cracóvia, ao teatro falado em polonês, o Polski Teatr se transforma e utiliza os usos e costumes da sociedade polonesa como tema e com isso passa a ser bastante apreciado.

Num salto na cronologia do teatro, que você poderá conhecer em detalhes visitando essa exposição inédita no Brasil, destacamos que ao longo do século XX, o teatro polonês sofreu as consequências de eventos dramáticos como as duas grandes guerras e as diversas lutas pela liberdade e soberania do país, decorrentes da perda de autonomia política em períodos de dominação alemã ou soviética. As adversidades sofridas nos diferentes períodos históricos resultaram numa considerável variedade de manifestações teatrais de qualidade, muitas delas provenientes de movimentos clandestinos, os quais resultaram não raro no rompimento de convenções e estereótipos.

Nomes como Józef Bielawski (1739-1809), Wojciech Bogusławski (1757-1829), Aleksander Fredro (1793-1876), Stanisław Wyspiański (1869-1907), Leon Schiller (1887-1954), Stanisław Ignacy Witkiewicz, ou Witkacy (1885-1939), Sławomir Mrożek (1930-2013), Tadeusz Różewicz (1921-2014), Jerzy Marian Grotowski (1933-1999), Tadeusz Kantor (1915-1990), Kazimierz Dejmek (1924-2002), Józef Szajna (1922-2008), Adam Hanuszkiewicz (1924-2011), Jerzy Grzegorzewski (1939-2005), Henryk Tomaszewski (1919-2001), Jerzy Jarocki (1929-2012), Krystian Lupa (1943- ), Grzegorz Jarzyna (1968- ), Krzystof Warlikowski (1962- ) e Agnieszka Glińska (1968- ), fazem parte da trajetória do Polski Teatr, com destaque para Tadeusz Morozowicz (1900-1982), que após uma primeira visita ao Brasil em 1926, quando atuava como coreógrafo e solista junto ao Teatro Lírico de Milão, voltou ao país logo depois, vindo a se estabelecer em Curitiba. Apoiado pela Sociedade Polonesa da cidade, fundou o Grupo de Teatro Amador (ZAZ), que funcionou até o decreto de nacionalização de Getúlio Vargas, em 1938, o qual proibiu qualquer manifestação em língua estrangeira e posteriormente, em 1927, fundou o Ballet Thalia e no ano seguinte, o Grupo Folclórico Polonês do Paraná. A participação ativa no movimento artístico e cultural paranaense, seja com projetos voltados ao público de poloneses e descentes, seja nas atividades de dança para o público em geral, perdurou até a sua morte, na década de 1980.

O contexto de guerra trouxe também ao Brasil em 1941 o polonês Zbigniew Ziembiński (1908-1978). Considerado um dos fundadores do teatro brasileiro moderno e trazendo consigo uma bagagem sólida de formação, a qual incluía participação em diversos projetos teatrais no contexto polonês, Zimba, como ficou carinhosamente conhecido pelos brasileiros, integrou-se ao meio cultural e teatral do Rio de Janeiro desde sua chegada. Mesmo sem ter conhecimento inicialmente do idioma português, uniu-se aos artistas da companhia amadora “Os Comediantes”, aceitando o convite para dirigir algumas peças. A montagem em 1943 de “Vestido de Noiva”, de autoria de Nelson Rodrigues, marcou época por introduzir a noção do diretor de teatro como aquele que concebe a cena esteticamente, substituindo a ideia do diretor como ensaiador, como era comum até então nos meios brasileiros. Dedicando-se ao repertório de língua portuguesa, foi responsável por levar à Polônia, na década de 1960, obras de autoria de Nelson Rodrigues e Jorge Amado.

A exposição Polski Teatr / Teatro Polonês que foi aberta ao público no dia 13/11/15 e ficará em exibição por um mês é uma realização da Casa da Cultura Polônia Brasil e do Consulado Geral da Polônia em Curitiba, conta com o apoio da Sociedade Polono-Brasileira Tadeusz Kosciuszko, Braspol e Sociedade Polono-Brasileira Marechal Jozef Pilsudski. Com reprodução de fotos e documentos esta exposição é uma excelente oportunidade para conhecer um pouco mais sobre o teatro polonês no mundo, com um recorte especial para a contribuição do povo polonês, através de seus imigrantes, para o teatro brasileiro e seus desdobramentos no Paraná.


SERVIÇO

Exposição: Polski Teatr / Teatro Polonês
Local: Casa da Cultura Polônia Brasil
Rua Ébano Pereira, 502 – Centro – Curitiba / PR
Período expositivo: de 13 de novembro a 11 de dezembro de 2015
Entrada: Gratuita
Classificação: Aberto a todos os públicos

Palestra: Aspectos do Teatro Polonês
(com professor Marcelo Paiva de Souza e Aleksandra Pluta)
Local: Casa da Cultura Polônia Brasil
Rua Ébano Pereira, 502 – Centro – Curitiba / PR
Data: 02 de dezembro de 2015 às 18h30
Entrada: Gratuita

Informações e horário de visitação: contato@poloniabrasil.org.br
ou pelo telefone (41) 3088-00708


(por Meg Mamede para CCPB)

***


quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Na “Primavera dos Museus 2015” a Casa da Cultura Polônia Brasil traz o classicismo na obra de Zbigniew Herbert.

(Zbigniew Herbert , Dom pracy tworczej ZLP, 1972, fot. Erazm Ciołek / Forum)


A Casa da CulturaPolônia Brasil tem promovido uma série de ações culturais desde sua fundação em 2012, contemplado as várias linguagens artísticas, buscando com isso estabelecer um rico diálogo com a comunidade polonesa e brasileira, em Curitiba, no Paraná e fora do país também. Neste mês de setembro e dentro da programação da Primavera dos Museus (temporada cultural promovida anualmente pelo IBRAM) a instituição realizará atividades em parceria com UFPR – Universidade Federal do Paraná (Curso de Letras-Polonês) Departamento de Polonês, Alemão e Letras Clássicas (DEPAC) desta Universidade e a Uniwersytet Śląski (Universidade da Silésia) Katedra Międzynarodowych Studiów Polskich desta Universidade (Departamento de Estudos Internacionais Poloneses) e com o apoio do Consulado Geral da Polônia em Curitiba e Sociedade Polono-Brasileira Tadeusz Kosciuszko.

No dia 09 de setembro de 2015 às 18h30 acontece a mesa redonda “O classicismo que dói. Sobre a poesia de Zbigniew Herbert”, com a participação de especialistas em sua obra os professores Danuta Opacka-Walasek (US, Polônia) que fará uma exposição sobre os aspectos gerais que concernem o poeta, a sua obra e as variadas possibilidades de sua leitura com tradução de Piotr Kilanowski (UFPR, Brasil), seguido de análise conjunta de poemas selecionados do autor e a participação do público através de perguntas. Os poemas escolhidos são traduções de Piotr Kilanowski.

Os temas que serão abordados giram em torno do papel do aparente classicismo na obra herbertiana, que tem como suas bases sofrimento e empatia por este causada. A releitura que Herbert faz da mitologia clássica traz o seu aspecto não explorado, que expõe a desumanidade dos seus protagonistas divinos, contrastada com o lado humano cujo sofrimento traz a empatia e permite releituras dos textos clássicos.

Na mesma noite às 20h30 acontece o Sarau “Poemas do Senhor Cogitocom poesias de Zbigniew Herbert, traduzidas por Piotr Kilanowski, momento em que serão feitas leituras dramáticas dos poemas selecionados de Herbert pelos alunos e professores do curso de Letras-Polonês da UFPR: Alicja Goczyła Ferreira, Piotr Kilanowski (professores) Everly Giller, Luiz Henrique Budant, Pedrita Setenareski Borges, Regiane Maria Czervinski (alunos e ex-alunos).

Com isso a Casa da Cultura da Polônia Brasil junto de seus parceiros e apoiadores deseja contribuir de maneira acessível para a democratização da cultura em nosso país, difundindo a cultura local e de outros povos, contemplando o conhecimento e a fruição de públicos diversos.


Serviço:


Mesa redonda “O classicismo que dói. Sobre a poesia de Zbigniew Herbert” e Sarau “Poemas do Senhor Cogito”.

Quando: Dia 09 de setembro de 2015 – das 18h30 às 21h30

Local: Casa da Cultura Polônia Brasil

Rua Ébano Pereira, 502 – Centro – Curitiba/PR

Evento Gratuito – Classificação: Livre para todas a idades

Mais informações: contato@poloniabrasil.org.br - www.poloniabrasil.org.br


(por Meg Mamede para CCPB)

***

domingo, 23 de agosto de 2015

“Meu coração de polaco voltou” uma homenagem ao poeta Paulo Leminski.

(Paulo Leminski - Foto: João Urban)

A Casa da Cultura Polônia Brasil e a família Leminski realizam várias ações em homenagem ao poeta curitibano. As atividades que terão inicio nesta segunda 24, data na qual Leminski completaria 71 anos, seguirão até o dia 04/10/15. 

No dia 24/08/15 às 19h30 – Palestra com o professor de Letras-Polonês da UFPR, doutor em literatura polonesa pela Universidade Iaguiellônica (Cracóvia) Marcelo de Paiva Souza, que falará sobre a Polônia na obra do artista.

Na terça-feira dia 01/09/15 às 20h acontecerá o lançamento da edição brasileira do livro de poemas traduzidos (bilíngue) “Meu coração de Polaco Voltou”, que reúne cerca de 60 poesias de Leminski, com seleção e tradução de Piotr Kilanowski, pesquisador e professor de Letras-Polonês da UFPR e abertura de exposição homônima inédita com curadoria das filhas do poeta Aurea e Estrela Leminski.
A exposição “Meu coração de polaco voltou” estará aberta para visitação gratuita de terça a domingo no horário das 10h às 17h no período de 02/09 a 04/10/15 (agendamento de escolas através do email: contato@poloniabrasil.org.br).

Para encerrar com chave de ouro na quarta-feira 23/09/15 das 20h às 23h acontecerá no Barsóvia – anexo à Casa da Cultura Polônia Brasil – o Sarau Poético “Polaco Loco Paca”, uma noite de leituras poéticas com a filha do autor, Aurea Leminski, convidados e público presente.

Casa da Cultura Polônia Brasil

A Casa da Cultura Polônia Brasil foi criada em 2012 com o apoio do Consulado Geral da República da Polônia e da Academia de Belas Artes de Cracóvia. Sua diretoria é composta por artistas e pesquisadores voluntários descendentes de poloneses, que buscam fortalecer e criar ações de intercâmbio entre Brasil e Polônia. A obra de Paulo Leminski é marcada pelas referências à cultura polonesa, e o projeto “Meu coração de Polaco Voltou” garante a difusão da obra do artista, das tradições polonesas, e reforça a importância do legado do autor e sua relação orgânica com a comunidade brasileira.


Serviço:

“Meu coração de polaco voltou”

Onde: Casa da Cultura Polônia Brasil, Rua Ébano Pereira, 502, Centro – Curitiba (PR)

Quando: de 24 de agosto a 04 de outubro de 2015.


(por Meg Mamede para CCPB)


***

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

"Meu coração de polaco voltou" uma homenagem a Paulo Leminski.



Uma realização da Casa da Cultura Polônia Brasil com curadoria das filhas do poeta Paulo Lemisnki, Aurea e Estrela Leminski, trata-se do lançamento da 2a. Edição do Livro "Meu coração de polaco voltou" antes lançado somente na Polônia e agora revisado e ampliado para este evento no Brasil.  


Além do livro acontecerá a exposição homônima de 02/09 a 04/10, uma palestra no dia 24/08 com o Prof. Marcelo Paiva de Souza mediado pelo Prof. Piotr Kilanowski (um dos tradudores da obra e coordenadores deste projeto) e na sequência, encerrando a homenagem ao autor, no dia 23/09 o sarau poético "Polaco loco paca".


Estão todos convidados!


Local: Casa da Cultura Polônia Brasil

Rua: Ébano Pereira, 502 - Centro - Curitiba
Informações: www.poloniabrasil.org.br



***

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Sociedade polonesa mais antiga da América Latina comemora 125 anos

A Sociedade Polono-Brasileira Tadeusz Kosciuszko completa 125 anos. A instituição é a mais antiga da América Latina e lançou um livro e uma exposição em comemoração. As edições do livro são limitadas e podem ser adquiridas pelo e-mail stkcuritiba@gmail.com. A exposição fica em cartaz até o dia 16 de setembro, na Sociedade Polono-Brasileira na Rua Ébado Pereira, 502, em Curitiba.

Matéria exibida no É-Cultura da TV É-Paraná no dia 25/06/2015 às 19h10.




(Fonte: É-Parana)
***

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Livro é um marco no registro da imigração polonesa no Brasil.



A publicação traz depoimentos e fatos inéditos e será lançada com uma exposição de fotos históricas.


Uma parte da trajetória dos poloneses no Paraná é contada por meio da história da mais antiga Sociedade da Imigração Polonesa no Brasil e América Latina no livro Sociedade Polono-Brasileira Tadeusz Kosciuszko: 125 anos de contribuição para a construção do Brasil, que será lançado no dia 17 de junho, às 19h, na Sede da Sociedade. Em paralelo ao lançamento do livro, haverá exposição com fotos que contam a trajetória da edificação e da organização dos poloneses na instituição ao longo deste período de mais de um século. 

O livro, organizado por Schirlei Mari Freder e Denise Sielski, com pesquisa e texto de autoria dos historiadores Tatiana Marchette e Vidal Costa, foi viabilizado por meio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, com incentivo da Copel, e descreve o surgimento da instituição urbana que se tornou um ponto de referência da comunidade polonesa no Paraná e no país ao unir a comunidade, divulgar suas tradições e costumes, promover o auxílio mútuo e prestar assistência aos compatriotas recém-chegados.

A partir de informações históricas relevantes e inéditas, são relatados os tempos pioneiros vividos pela comunidade polonesa, na cidade de Curitiba, como as dificuldades ocorridas por causa dos desdobramentos da Revolução Federalista, ao longo do governo Vargas e no Estado Novo e também no período em que a Polônia estava sob o regime comunista. Os poloneses no Brasil viveram períodos de perseguição e discriminação por parte do governo, momentos lembrados pelos descendentes quando fazem referência à  política de nacionalização dos anos 1930 e às tensões do pós-guerra nos anos 1950 e 1960.
Os percalços não impediram a mistura entre culturas e o florescimento de outra vida na nova pátria. Nas páginas do livro são contadas essas histórias de desafios, com destaque para o ânimo permanente dos sócios da Tadeusz Kosciuszko e para a luta com o intuito de acessar as políticas públicas que permitissem a manutenção do prédio da Sede da Sociedade.  São contadas, ainda, histórias de perseverança, paciência e boa-fé, que resultaram em sucessos e glórias.

A publicação também recupera lembranças do tempo em que o salão da Sede Social abrigava cursos, bailes tradicionais, escola, ensaios do Grupo Folclórico Polonês  do Paraná, discotecas e várias comemorações que traziam e trazem a marca da polonidade. Marcas que Curitiba já incorporou ao saborear um pierogi, apreciar a boa vodka, ouvir Chopin ou passear pelos caminhos do Bosque do Papa.





Lançamento do livro  Sociedade Polono-Brasileira Tadeusz Kosciuszko: 125 anos de contribuição para a construção do Brasil.

Data: 17 de junho
Horário: 19h

Local: Sociedade Polono-Brasileira Tadeuz Kosciuszko - Rua Ébano Pereira, 502 - São Francisco
Ingresso: gratuito









Exposição Sociedade Polono-Brasileira Tadeusz Kosciuszko: 125 anos de contribuição para a construção do Brasil Organizada com  algumas das fotos que ilustram o livro e contam a trajetória da edificação da Sociedade e da organização dos poloneses na instituição ao longo desse período a exposição tem curadoria de Meg Mamede (Cultura in Company) e Schirlei M. Freder (Creare Consultoria).

Data: 17 de junho a 16 de setembro
Horário: 9h às 11h30 - 14h às 17h (2 a 6a feira)
*somente visitas agendadas pelo e-mail stkcuritiba@gmail.com
Local: Sociedade Polono-Brasileira Tadeuz Kosciuszko - Rua Ébano Pereira, 502 - São Francisco
Ingresso: Gratuito 


(Fonte: Karen Monteiro / Assessoria de Imprensa) 


*** 

domingo, 14 de junho de 2015

Exposição de Márcia Széliga e Celebração Musical de Daniel Namkhay em Curitiba.



Show de Lançamento do novo CD Poderoso Sol, de Daniel Namkhay.  Abertura com Munay Banda e Exposição Lum-in-essência, de Márcia Széliga.

Quando: dia 29 de agosto de 2015, das 19 às 22h, Rua Ébano Pereira, 502.

Ingressos à venda no local todas as Quartas e Quintas das 14 às 17h

Crianças até 7 anos entrada livre. Até 12 anos meia-entrada.

E no Domingo dia 30 de agosto acontece o Workshop A Yoga do Som, com Daniel Namkhay, das 9 às 17hs.

Valores:

INGRESSOS: R$50,00 inteira , Meia entrada para menores de 12 anos e maiores de 60 anos.

WORKSHOP: R$100,00

Informações e inscrições através dos contatos de e-mail: marciaszeliga@gmail.com  ou contato@poloniabrasil.org.br

ou

no local - Rua Ébano Pereira, 502 - às Quartas e Quintas das 14 às 17h

No dia 29 haverá degustação de alguns dos deliciosos pratos oferecidos pelo Barsóvia.

Após o término da apresentação às 22hs o público interessado pode se dirigir ao Barsóvia para esticar a noite e provar mais dos saborosos pratos e aperitivos, na companhia de Daniel Namkhay, que estará autografando seus CDs, junto de Márcia Széliga, que também estará autografando seu livro Carrossel dos 
Sonhos. Informações e reservas de mesa: (41) 9720-1022.

Sobre Daniel Namkhay

Daniel Namkhay nasceu na Argentina, mas vive no Brasil. Faz do som seu aliado na cura e na paz.
É um músico intuitivo e coletou mais de duzentas flautas de madeira, barro e bambu, viajando pelo sudeste asiático (Ilha de Java, Ilha de Bali, Tailândia, Malásia, Japão, etc.), Bolívia e Estados Unidos onde, com os nativos norte-americanos, estudou suas musicas, danças, cantos e cultura. Daniel viaja pelas Américas e Ásia realizando o "Tribal" concerto interativo onde o público participa com instrumentos, cantos e criando ritmos. Ministra também o workshop "O Yoga do Som".

Sobre as Músicas

As músicas de Daniel Namkhay são inspiradas nas poderosas tradições xamânicas da terra e nasceram como uma forma pessoal de pacificação, de oração, de expansão da consciência e de poder se religar com a natureza através da vibração de instrumentos criados com materiais naturais como: madeira, bambu, barro, pedra, cristal, cabaças, metal, etc...

A nossa cultura moderna, em seu ritmo acelerado, cria naturalmente “cabeças falantes”, com a tendência a pensar demais e que se afastam da alegria, do sorriso, da paz e da celebração... A música foi o caminho mais efetivo e instantâneo que Daniel encontrou para ir apagando essa “programação” da nossa percepção e para poder celebrar o momento presente, o milagre único de estarmos vivos neste planeta sagrado, colorido, cheio de vida e de sons, e que a grande maioria dos seres humanos parece ter esquecido!

A música é para Daniel Namkhay uma verdadeira medicina, uma fonte inesgotável de alegria, inspiração, paz e religação com as forças cósmicas e telúricas... A sua caminhada espiritual como praticante de meditação tem sido uma verdadeira descoberta de como o ruído, o grito e a raiva nos adoecem e de como a música calma, suave, criada com instrumentos naturais nos beneficia e nos oferece paz verdadeira.
Daniel cria músicas de longa duração, ondulantes e cheias de sons naturais, criadas com uma incrível coleção de mais de 200 flautas nativas, tambores de barro, de couro e de bambu, kalimbas, apitos e sementes da Amazônia, paus de chuva, sinos do Tibet e de cristal de quartzo, e outros exóticos instrumentos de muitos países como: Turquia, China, Japão, Ilha de Bali, Java, Tibet, Índia, Tailândia, Egito, EUA, Peru, Bolívia, Marrocos, México, Havaí, etc.

Através dos sons destes instrumentos mágicos e naturais Namkhay cria pacíficas viagens sonoras que propiciam aos seus ouvintes sensações orgânicas, reais, de paz, bem estar e de religação com as forças da natureza.

Venham vivenciar a Música!


Apoio

Casa Cultura Polônia Brasil, Barsóvia, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Sociedade Polono-Brasileira Tadeusz Kosciuszko e Cultura in Company.

(Fonte: CCPB)

***

terça-feira, 26 de maio de 2015

Desfile de figurinos inspirados nas Lendas Polonesas.



No dia dia 02 de junho às 19h30 acontecerá o desfile dos figurinos inspirados nas "Lendas Polonesas" na sede da Casa da Cultura Polônia Brasil.
O projeto - coordenado pela Professora Eunice Valente - faz parte da disciplina desenvolvida neste primeiro semestre no Curso de Design de Moda da Universidade Tuiuti do Paraná.
Agradecimentos especiais aos alunos que se dedicaram em conhecer um pouco mais sobre a Polônia e suas tradições.

Evento gratuito, aberto a comunidade em geral e com vagas limitadas.
Informações e inscrições: contato@poloniabrasil.org.br

***

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Cruz Machado realiza 1ª Feira Gastronômica.

Com o objetivo de fortalecer a cultura típica e sua culinária, apresentar produtos locais, fomentar o desenvolvimento e os produtos da agricultura local, a Prefeitura de Cruz Machado, através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura, promoveu na sexta-feira, 8, sábado, 9, e domingo, 10, a 1ª Feira Gastronômica.

O evento gastronômico reuniu diferentes expositores e entidades que ofereceram inúmeros pratos e guloseimas para satisfazer aos mais variados paladares dos visitantes. Durante os três dias de evento houve muita animação com apresentações artísticas e claro muitas delícias na praça de alimentação, exposição de produtos locais, exposição de artesanatos e stands e barracas expositivas.

A feira começou na sexta-feira com a realização do curso de Gastronomia Oriental, que foi oferecido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). A atividade proporcionou o desenvolvimento de pratos da culinária oriental aplicando técnicas de produção e boas práticas de higiene, além da produção de receitas da culinária oriental. Ainda na sexta-feira aconteceu a abertura oficial e as apresentações dos Grupos do Barracão das Artes e do Grupo Folclórico Ucraniano Jettiá.

(Oficina "Cozinha Tradicional Revisitada com Meg Mamede -  Fotos: Marcelo Kloczko)

No sábado foi dada continuidade do curso de Gastronomia Oriental. A Meg Mamede ofereceu as oficinas “Cozinha Tradicional Revisitada” e “Cozinhar: Um Ato de Transformação”. Durante as atividades do Cozinhar: Um Ato de Transformação os participantes debateram questões sobre os tempos de fast life, fast food e tanta tecnologia, que cozinhar do zero e se alimentar junto à família é algo que deve ser resgatado e preservado, assim como as memórias que a comida e a reunião em torno dela nos proporcionam. As ações da Cozinha Tradicional Revisitada envolveram atividades culinárias com produtos da nossa região, tendo o pinhão como o principal ingrediente. Também foi realizada uma apresentação contemporânea dos pratos que foram degustados pelos participantes do encontro.

Ainda no sábado foi realizada a “Oficina Boas Práticas de Manipulação de Alimentos”, que foi ministrada pela nutricionista Marceli Wurr, sobre atividades de procedimentos dos processos corretos na manipulação dos produtos, a fim de evitar os perigos a que os alimentos estão sujeitos, sua prevenção, controle e efeitos sobre a segurança dos alimentos e a saúde.

A noite de sábado foi animada pelas apresentações do Quinteto de Metais Ferro Velho e do Grupo Folclórico Spomen.

No último dia do evento, no domingo, houve um delicioso almoço com pratos típicos da nossa cultura regional, apresentações das escolas municipais em homenagem ao dia das mães.


(Fonte: PM Cruz Machado)

***

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Mesa Redonda "A sustentabilidade das artes na cultura paranaense" acontece nesta quarta 20/05/15.



Na próxima quarta-feira 20/05/15 às 19h30 acontecerá a Mesa Redonda "A sustentabilidade das artes na cultura paranaense" como parte da programação da Casa da Cultura Polônia Brasil durante a 13ª Semana Nacional de Museus

Atividade gratuita aberta ao público em geral sem necessidade de inscrição prévia.

Com mediação de Meg Mamede do Cultura in Company e Schirlei Freder presidente da Casa da Cultura Polônia Brasil.


***

Jantar Polonês realizado pela Casa da Cultura Polônia Brasil foi um sucesso!



O “Jantar Polonês” realizado na última terça-feira foi um sucesso. Uma noite descontraída e saborosa em um local de grande representatividade para poloneses e descendentes. O evento que faz parte da Edição 2015 dos “Encontros Gastronômicos” foi realizado pela Casa da Cultura Polônia Brasil com curadoria de Meg Mamede do Cultura in Company e menu da Chef Paty Borek, contou com o apoio da 095design., Pierogi do Miro, Barsóvia, Sociedade Tadeusz Kosciuszko e Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba.

***

A Casa da Cultura Polônia Brasil, desde sua fundação em 2012, vem promovendo uma série de eventos em vários campos da cultura num esforço de integrar e contribuir para a cultura brasileira e polonesa. O projeto "Encontros Gastronômicos" é mais uma demonstração desta proposta, que visa atender seus associados e toda a comunidade.

Este primeiro “Encontro Gastronômico” tem menu elaborado pela chef Paty Borek. Inspirada por suas origens polonesas, Paty, como é conhecida no segmento gastronômico, traz pratos tradicionais com apresentação contemporânea fruto da fusão da culinária polonesa e ingredientes brasileiros como a própria chef que nasceu no Brasil meses depois que seus pais aqui chegaram. Mantendo desde a infância estreita relação com sua cultural ancestral, seja através da culinária, seja através de viagens, cursos e eventos que participa, a chef traz para seus pratos os saberes e sabores passados de geração para geração com estilo próprio e moderno.

A culinária é agente importante para preservar a memória e dar identidade cultural a um grupo ou sociedade, por isso, escolhemos para Edição 2015 dos “Encontros Gastronômicos” a gastronomia polonesa e convidamos você a iniciar conosco esta viagem.
***

Dom Kultury Polska – Brazylia, od chwili swojego powstania w 2012 roku, realizuje szereg przedsięwzięć w różnych dziedzinach kultury, służących integracji i umacnianiu kultury brazylijskiej i polskiej. Projekt „Spotkań gastronomicznych” jest kolejnym przykładem tych działań wychodzących naprzeciw oczekiwaniom członków i całej społeczności.

To pierwsze, „Spotkanie gastronomiczne” posiada menu opracowane przez Chef  Paty Borek. Zainspirowana swoim polskim pochodzeniem, Paty, znana już w światku gastronomicznym, proponuje dania tradycyjne w nowoczesnej odsłonie, efekt fuzji kuchni polskiej i dodatków brazylijskich, oddający charakter samej Chef, która urodziła się w Brazylii kilka miesięcy po tym, jak jej rodzice tutaj przybyli. Od dzieciństwa utrzymywała ścisły związek z kulturą przodków, tak w zakresie kulinarnym jak i podróży, kursów oraz innych przedsięwzięć, w których brała udział. Chef umieszcza w swoich daniach wiedzę i smaki, przekazywane z pokolenia na pokolenie nadając im własny nowoczesny styl.

Kuchnia jest ważnym środkiem zachowania pamięci i tożsamości kulturowej, dlatego postanowiliśmy zrealizować w 2015 roku edycję “Spotkań gastronomicznych kuchni polskiej”. Zapraszam do rozpoczęcia z nami tej podróży.


***
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...